Logotipo

dom, 25 de fevereiro de 2024 02:21

Com um mês à frente da Casa Civil, Fábio Garcia promete intensificar interlocução com a AL

Prestes a completar oficialmente um mês à frente da Casa Civil, o secretário Fábio Garcia (União Brasil) aposta em uma maior interação com a Assembleia Legislativa neste segundo semestre, após o fim do recesso parlamentar. Na pauta da AL, o deputado federal e aliado de primeira hora do governador Mauro Mendes (União) vai enfrentar, de imediato, a apreciação do veto dp projeto Transporte Zero. Além disso, há o pagamento das emendas parlamentares e as discussões orçamentárias, como a LDO.

Tudo isso dentro de um cenário de rivalidade com o presidente do Legislativo, deputado Eduardo Botelho, do mesmo partido. 

“Tenho cumprido a missão determinada pelo governador de poder fazer essa interlocução entre os Poderes e manter essa harmonia, esse respeito e diálogo que existe, buscando garantir a eficiência máxima ao Executivo. Acredito que a partir de agora que a Assembleia está retomando as suas atividades legislativas, nós vamos ter uma interação muito maior entre a Assembleia e a Casa Civil. E eu espero poder contribuir para que essa relação harmônica possa permanecer e que os projetos importantes para a sociedade possam ser aprovados e tramitar naquela Casa de Leis”, comentou Fábio à imprensa nesta segunda-feira (7). 

Como Fábio detém o favoritismo de Mauro dentro do União Brasil, a disputa entre o presidente da AL e o deputado federal e agora secretário da Casa Civil tem “forçado” Botelho a buscar a viabilidade de sua candidatura em outras legendas e ele já recebeu convites de filiação do PSB, PSD, Republicanos e MDB.

Ao mesmo tempo, corre nos bastidores a informação, já defendida por membros do União, de que o nome a ser escolhido irá passar pelo crivo das pesquisas eleitorais. Fábio foi questionado sobre o assunto, mas disse que desconhece informações sobre a data de quando o levantamento será realizado. “A gente não falou até agora dentro do União Brasil da contratação de pesquisa com fins eleitorais. Eu acredito que o governador [presidente do partido] queira deixar para o ano que vem”, disse.

Sobre a relação com a AL, o próprio Botelho já havia comentado o assunto, descartando uma grande interação de Fábio Garcia com ele. Isso, porque na opinião do deputado estadual, o secretário da Casa Civil irá interagir mais com os outros parlamentares estaduais.

“A relação com o secretário da Casa Civil, ela é muito pouca com o presidente. É muito mais com os deputados. Com o presidente não tem quase nada. Não tem muita coisa para eu tratar com ele. Agora, os deputados sim, porque não sou eu quem vai decidir voto. É ele que tem que convencer, não sou eu que tem que convencer os deputados”, lembrou Botelho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

redes sociais

Notícias relacionadas

Ultimas noticias