qua, 24 de abril de 2024 02:56

Festival atacado em Israel foi criado no Brasil pelo pai de Alok

O Universo Paralello, festival de música eletrônica atacado no sábado (7) pelo grupo extremista islâmico Hamas em Israel, nasceu no Brasil e foi criado por Juarez Swarup Petrillo, pai de Alok. Até esse domingo (8/), o governo israelense contabilizava mais de 260 pessoas mortas no evento, interrompido durante o bombardeio.

Juarez Petrillo, nome conhecido no meio da música eletrônica, criou o Universo Paralello em 2000. A festa começou em Goiás, e agora acontece na praia de Pratigi, de Ituberá, na Bahia.

Universo Paralello se pronuncia

No texto divulgado no perfil da marca no Instagram, eles afirmam estar “profundamente chocados com os últimos acontecimentos em Israel” e ressaltaram que o local é reconhecido por “grandes eventos de música eletrônica”. Além disso, pontuaram que não existe uma relação direta entre a equipe deles e a festa de sábado.

“O Universo Paralello sempre licenciou sua marca para eventos fora do Brasil, onde um produtor é responsável pela organização e contratação de artistas vinculados, como aconteceu no caso do [Juarez] Swarup (pai de Alok). A marca foi licenciada e o DJ contratado pela produção israelense da Tribe of Nova”, diz um trecho.

Eles informaram ainda que receberam informação apenas “via imprensa ou publicações não oficiais” e se solidarizaram com as famílias das vítimas mortas na rave, que chegaram a 260 neste domingo (8/10). “A violência não tem lugar na sociedade, seja em qual território for”, finalizam.

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

redes sociais

Notícias relacionadas

Ultimas noticias