qua, 24 de abril de 2024 02:18

Juiz mantém prisão de homem que matou ex e dá prazo para entrega de teste de sanidade

Juiz da Vara Única de Juscimeira, Alcindo Peres da Rosa, manteve a prisão de Igor Henrique Bernardes Pires pelo feminicídio de Alice Ribeiro da Silva em março deste ano. Ainda deu prazo de 5 dias para que seja encaminhado à Justiça o exame de insanidade mental requerido pela defesa dele.

Sobre a prisão preventiva de Igor, o magistrado explicou que, conforme o Código de Processo Penal, a necessidade de manutenção da medida deve ser revisada a cada 90 dias. Ele citou que o suspeito foi preso pelo crime de homicídio qualificado e ainda não obteve o direito à liberdade para garantia da ordem pública, assim como pela gravidade do crime que cometeu.

“Desde prisão do réu até a presente data não houve alteração no contexto fático hábil a justificar a revogação da medida imposta. […] mantenho a prisão preventiva decretada em desfavor de Igor Henrique Bernardes Pires”, decidiu o magistrado.

Sobre o exame de insanidade de Igor, o pedido foi deferido em maio deste ano. Em decisão da última semana, o juiz determinou que a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) seja oficiada para encaminhar, no prazo de 5 dias, o exame pericial realizado.

O caso 

No dia 3 de março de 2023 a Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência em um residencial na Rua Porto Alegre, com informações de que o suspeito havia agredido a ex-mulher com objeto cortante.

Ao chegar ao local a equipe não encontrou o homem, apenas uma testemunha que estava com a vítima no momento do crime. A mulher já estava sem vida.

Segundo relatado pela testemunha, o homem chegou em casa no horário de almoço, questionando a vítima por ter feito uma chamada de vídeo com a mãe dele. Ela respondeu e disse que contou à sogra o motivo pelo qual mandou o homem embora de casa.

Em seguida, a testemunha ouviu os gritos da mulher, pegou a filha da vítima e fugiu temendo que o homem fizesse algo também contra a criança.

O suspeito foi localizado momentos depois e, ao prestar depoimento para a polícia, alegou que teve uma filha com a mulher sendo vítima de um golpe da barriga. Conforme o relato, o homem disse ainda que a mulher queria se apossar dos bens que ele possuía em seu nome.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

redes sociais

Notícias relacionadas

Ultimas noticias