Logotipo

qui, 29 de fevereiro de 2024 03:40

“Rei do pó” preso em operação da PF movimenta mais de R$ 25 mi em uma conta bancária

Thiago Pereira da Silva, de 34 anos, conhecido como “Thanos” ou “Intocável” e preso na “Operação Intocável”, deflagrada nesta quarta-feira (2) pela Polícia Federal, chegou a movimentar mais de R$ 25 milhões em uma única conta bancária somente neste ano. Ele era procurado há cerca de 10 anos por tráfico internacional de drogas e foi detido em uma mansão de Mirassol d’Oeste (297 km de Cuiabá).

De acordo com a investigações, Thanos é o suposto dono de uma empresa de logística chamada TPX Comércio Transporte e Serviços LTDA, desde junho de 2020. O capital inicial da empresa seria cerca de R$ 110 mil. A empresa era utilizada para lavar o dinheiro arrecado com o tráfico de drogas.

Além disso, o suspeito é líder de uma organização criminosa, membro do Primeiro Comando da Capital (PCC) e articulador de todo um esquema criminoso voltado para a venda dos entorpecentes.

Durante as investigações, algo que chamou muito a atenção é que Thanos gostava de ostentar em suas redes sociais a vida de luxo que levava. Em um dos casos registrados, viajou para Europa em um avião fretado e voltou no dia seguinte.

A polícia ainda identificou que quando ele ficava doente, o criminoso se tratava no Hospital Albert Eisnten, que fica em São Paulo.

TENTATIVA DE FUGA 

Thiago Pereira da Silva teve que ser transferido às pressas da prisão de Mirassol d’Oeste para o Sistema Penitenciário Federal, no início da noite desta quarta-feira, depois que a Inteligência da Polícia Civil recebeu informações que cerca de 15 homens fortemente armados estavam a caminho do local onde o fugitivo estava detido com a intenção de libertá-lo.

Em virtude disso, foram convocadas equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Centro Integrado de Operações Aéreas – (CIOPAer) para realizar a transferência do criminoso.

A PF não irá informar a localidade que o suspeito foi levado para que novas tentivas de fuga não venham a ocorrer. 

OPERAÇÃO INTOCÁVEL

Ao todo foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão expedidos pela 4ª Vara Criminal de Cáceres (219 km de Cuiabá), especializada em organização criminosa.

Foram expedidas também ordens de sequestro de bens e valores, dentre eles diversos bens móveis e imóveis, incluindo veículos, aeronaves, bovinos e fazenda pertencentes ao principal investigado da operação, registrados em nome de terceiros e familiares.

O nome da operação faz referência ao alvo principal que acreditava ser intocável, inalcançável, pelas forças de Segurança Pública e se gabava desse fato dizendo que nem a Polícia Federal poderia pegá-lo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

redes sociais

Notícias relacionadas

Ultimas noticias