Logotipo

qui, 29 de fevereiro de 2024 04:08

Trabalhador de VG confronta a polícia, veja o vídeo!

Um vídeo que anda circulando nas redes sociais mostram o proprietário de uma distribuidora de gás de cozinha, com idade de 40 anos, sendo humilhado e algemado em ação violenta da Polícia Civil, ao tentar impedir a fiscalização da Delegacia Especializada do Consumidor (Decon), na quinta-feira (23) , em Várzea Grande.

O caso remete à declaração do governador Mauro Mendes (DEM) que foi criticada pelas polícias, pois o chefe do Executivo comparou a ação do Ministério Público à da polícia, que “primeiro atira e depois pergunta”.

As informações são de que havia denúncia de que o comércio funcionava de forma irregular. O cidadão resistiu à prisão, foi jogado no chão e imobilizado. A ação teve apoio de uma guarnição do Corpo de Bombeiros.

As cenas foram gravadas por testemunhas que flagraram a situação na rua, onde dentro do camburão ele dizia que não seria algemado e que não era bandido. No entanto foi forçado, jogado no chão e imobilizado à força, enquanto tentava resistir até o fim alegando que não era bandido.

As testemunhas pediam para que a vítima deixasse ser algemado e repetiam que a ação estava sendo filmada, sendo flagrada a ‘ação violenta’.

Declaração de Mendes:

“O MPE tem que agir com seriedade, como tenho certeza que é sério. Se tem dúvida, vai lá, pergunta ao gestor, pede esclarecimento antes de fazer aquelas coisas espetaculosas como algumas vezes já vimos por aí acontecendo. Como se fosse a polícia [da Gestapo]: atira primeiro e pergunta depois”.

A declaração é do governador Mauro Mendes e foi dada durante uma entrevista na manhã de quarta-feira (22) ao Jornal da Capital 1ª edição, na Capital FM. 

A crítica ao Ministério Público do Estado é principalmente em relação às ações do período de pandemia da covid-19.

Veja o vídeo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

redes sociais

Notícias relacionadas

Ultimas noticias